Positividade tóxica: fuja dela!


Cada parte nossa precisa ser acolhida, inclusive as mais distantes da nossa consciência, as mais difíceis de encarar, aquelas que rejeitamos e menosprezamos. Caso contrário, essas forças esquecidas tendem as nos dominar sem que a gente perceba e também perdemos muitos recursos NOSSOS contidos nessas forças. Tudo em nós serve a nossa existência! Tudo em nós é importante!

Na onda de uma popularização- muitas vezes superficial- de saberes antigos, holísticos, espirituais, etc, surgiu o fenômeno da positividade tóxica: se sou "espiritualizado" preciso estar sempre "bem", preciso me nomear como do "bem", paz e amor, gratiluz. Preciso, assim, ceifar e mascarar parte do que sou para caber nesse rótulo. Preciso, assim, calar minhas emoções "negativas". Preciso, assim, fechar os olhos para as desigualdades sociais, para os preconceitos e tragédias pois isso não "vibra" junto a minha "positividade".

Mais uma performance, mascarada de autenticidade, que só nos afasta de nós mesmos.

Nós também somos caos, somos emoções complexas, partes sombrias... e é aceitando e vendo isso que começamos a nos sentir mais fortes. É aceitando que podemos trabalhar junto à consciência a melhor forma de lidar com todos esses eus.


O teu autoconhecimento te liberta? A tua prática espiritual te faz livre e conectado ou mais podado? A tua terapia te leva ao encontro do seu verdadeiro eu? Teu caminho te atrofia, traz culpa ou permite a flexibilidade para abarcar mais lados teus?

Isso é um lembrete para todos nós, inclusive para mim. Como é fácil cair nas garras de querer ser bonzinho, agradar todo mundo, ter só "boas" emoções. Mas a gente não precisa, a gente precisa ser... gente!

Isso faz sentido para você?

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo